Praias paulistas ficam cada vez mais estreitas

No litoral paulista, a elevação do nível do mar vem mudando o perfil de algumas praias. A média de aumento no último século foi de 30 centímetros por ano, maior que a média mundial, que é de 20 cm por ano.

, O Estadao de S.Paulo

25 de novembro de 2009 | 00h00

"Uma das principais causas da erosão costeira é a elevação do nível do mar", explica a geóloga Célia Regina de Gouveia Souza, do Instituto Geológico de São Paulo, que monitora o litoral do Estado há mais de 20 anos. Segundo ela, a praia vai sendo empurrada para o continente. Mas, quando há ocupação na orla, a praia não tem para onde ir.

É o caso da praia do Gonzaguinha, em São Vicente, que retrocedeu em média 64 cm por ano entre 1962 e 2001. "Se nada for feito, a praia deve sumir em cem anos", afirma a geóloga. "Quando eu tinha 12 anos, dava para ir até o Itararé caminhando", conta Décio Morbin, 67, antigo morador do Gonzaguinha. O IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas) prevê que o mar continuará subindo a níveis próximos a 60 cm até 2100.

Na praia da Barra Seca, em Ubatuba, o avanço do mar, aliado ao impacto da construção da BR 101, está fazendo a praia perder 78 cm por ano. Joel Leite, de 44 anos, mora na área há 25. "Tínhamos quiosque onde hoje é mar. Já recuamos seis vezes", conta. KARINA NINNI, REJANE LIMA e NÍVIA ALENCAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.