Preço de decodificadores deve cair muito em 2008

Mesmo em época de liquidação, após o Natal, os receptores de TV digital não baixaram em nada de preço. O Link visitou as principais lojas de eletrônicos da cidade e da internet e constatou, ainda, que os valores são os mesmos em quase todos os varejistas. Não há concorrência. A diferença ficou com as lojas da Rua Santa Ifigênia, que cobram até R$ 1.300 por um aparelho que custa R$ 1.100 na Fnac. "Compramos em menor quantidade, por isso o preço é mais alto", justifica o gerente da loja Mundo Digital, na Santa Ifigênia, Manoel Soares. Nas grandes redes, há uma incógnita. Todas praticam os mesmos valores. Wall Mart e Fast Shop dizem que o preço é tabelado pelos fabricantes. Philips e Semp Toshiba, dois dos principais fabricantes, negam. Já Fnac e Ponto Frio dizem que, por não haver procura, não há concorrência. "Poucos querem comprar um decodificador", diz Roberto Rangel, do Ponto Frio. Mas isso deve mudar. E rápido. Com a chegada da TV digital a outras praças, como Rio e Belo Horizonte, os fabricantes estão se armando para cortar custos. "Já houve duas grandes empresas que nos procuraram para fazer aparelhos a R$ 200", diz Jakson Sosa, da empresa Comsat. Outras companhias se preparam para fabricar no Brasil. "Começaremos a fabricar em Manaus no meio do ano. E os preços devem cair", diz Roberto Barbieri, da Semp Toshiba. Já a Philips faz mistério. "Não há previsão de queda de preços", diz o diretor Técnico da empresa, Walter Duran. Mas ele dá pistas. "Se os concorrentes forem mais baratos, estudaremos." Sendo assim, não é hora de comprar um decodificador. Os preços tendem a cair muito neste ano. Haverá as Olimpíadas, que devem ter transmissão em HD. Na ocasião, as lojas já dão sinais de que farão promoções. R.M.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.