Preço de genérico varia até 523%

Os preços dos medicamentos genéricos nas drogarias de São Paulo podem variar até 523,81%. Entre os itens de referência ou de marca, a diferença passa dos 135%. A constatação é da pesquisa mensal da Fundação Procon de São Paulo, feita de 3 a 5 de maio. A recomendação, diz o Procon, é fazer pesquisa de preços.

JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2010 | 00h00

A maior oscilação de valores (523,81%) ocorreu no genérico do anti-inflamatório e analgésico Diclofenato Sódico, em embalagem de 20 comprimidos, com 50 mg cada. O maior preço foi R$ 11,79, na Drogão do centro, e o menor, R$ 1,89, na Drogaria Campeã, em Santo Amaro, zona sul.

Entre os medicamentos de referência, a maior variação (135%) foi no anticonvulsionante Gardenal (Fenobarbital), do laboratório Sanofi-Aventis, em embalagens com 20 comprimidos de 100 mg cada. O maior preço encontrado foi R$ 5,40, na Drogão do centro, e o menor, R$ 2,29, na Drogaria Pacheco, no Tatuapé.

Nelson de Paula, gerente de marketing da rede Drogão, diz que a pesquisa refere-se a preços praticados para clientes sem cartões fidelidades, que concedem descontos. / MARCOS BURGHI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.