Prédios em área contaminada terão pilares como apoio

A USP Leste ainda não conta com licença ambiental de operação para sua área original - ainda faltam dois dutos para extração de gases. Segundo a direção da unidade, já foram entregues toda a documentação para a Cetesb. O novo terreno contíguo ao atual, cedido pelo governo, também precisa de tratamento ambiental para abrigar os dois prédios planejados. As áreas possuem material contaminado extraído do Rio Tietê. Além de dutos, a USP Leste fará as construções sem contato direto com o solo. Os centros de Cultura e Exposições e de Convenções serão erguidos sobre pilares.

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2012 | 03h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.