Prefeito de Itabuna está surpreso por liderar ranking da dengue

Cidade da Bahia é a primeira com maior risco de surto da doença durante o próximo verão, segundo o Ministério

Fabiana Marchezi e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

21 Novembro 2008 | 13h19

O prefeito Fernando Gomes (DEM) e o secretário Municipal da Saúde de Itabuna, Jesuíno Oliveira, dizem estar surpresos com o resultado do Levantamento Rápido de Infestação por Aedes aegypti, que aponta a cidade - que fica a 473 km de Salvador, na Bahia - como a de maior risco de surto de dengue no próximo verão. Eles se dizem surpresos com os dados divulgados na quinta-feira, 20, já que, até outubro deste ano, o município registrou 15 casos da doença, que resultaram em uma morte.   Veja também: Dengue deixa 71 municípios brasileiros em estado de alerta Especial: O avanço da dengue  Dados reforçam risco de epidemia de dengue no Rio e Salvador  Temporão e prefeitos eleitos do Rio discutem combate à dengue Temporão não descarta nova epidemia de dengue no Rio    Para o prefeito da cidade, "o Liraa é exagerado e a situação está totalmente sob controle. Não sei de onde apareceu isso! Pode até acontecer, pois ainda não começou a chover, mas estão querendo fazer fantasia". Os dados do levantamento foram divulgados na quinta pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão.   De acordo com o secretário, há um grande esforço para combater o mosquito no município. A cidade tem focos de criadouro do mosquito por conta da grande quantidade de lixo acumulada em algumas localidades, por causa do Rio Cachoeira, que é considerado uma fonte de esgotamento sanitário. O local não recebe água há mais de 60 dias, devido à estiagem, e principalmente por conta a falta de saneamento básico em algumas partes da cidade.   "Desde janeiro deste ano os trabalhos no combate à dengue são intensos. O índice divulgado ontem (quinta) é resultado de um somatório dos índices de diversas localidades do município, locais onde o saneamento básico é muito ruim. Esse somatório contribuiu para que a média elevasse de 3,7% para 15,6%", afirmou o secretário municipal da Saúde. Além dos 210.604 habitantes de Itabuna, a secretaria atende mais 3.285.620 pessoas de 123 cidades vizinhas. O município é considerado o maior pólo de saúde do interior do Estado.   Em contrapartida, a Secretaria do Estado da Saúde afirma que envia relatórios e visita o município semestralmente como tentativa de evitar a incidência de dengue. Segundo Alcina Andrade, diretora da Vigilância Epidemiológica da secretaria, faz dois anos que o Liraa aponta Itabuna como município em situação de risco.   Para ela, a cidade está em primeiro lugar no ranking pela descontinuidade e baixa qualidade nos trabalhos realizados pelos mais de 480 agentes. "Todos os relatórios feitos foram enviados para a gestão municipal. A produção dos agentes é inferior ao que se preconiza e eles estão visitando menos casas do que deveriam. É preciso se esforçar mais um pouco. É preciso fazer mais", concluiu a diretora.   Prevenção   Com o objetivo de intensificar as ações de combate à doença na capital e no interior, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) apresentou, na manhã da quinta, no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), o Plano de Contingência 2008/2009.   De acordo com o secretário da Saúde do Estado, Jorge Solla, a mobilização da sociedade, a renovação de 160 veículos da frota das Diretorias Regionais de Saúde e a intensificação de campanhas de comunicação no rádio e na TV são algumas das ações da Sesab para o enfrentamento da dengue.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.