Prefeito do Rio sanciona lei do ensino religioso do 1º ao 9º ano

A lei que institui o ensino religioso na rede municipal do Rio foi sancionada ontem pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). A partir de 2012, as escolas municipais de ensino integral (cerca de 100 das 1.064 unidades) oferecerão a disciplina de forma opcional aos alunos do 1.º ao 9.º ano. A lei, encaminhada à Câmara pelo prefeito, havia sido aprovada por 28 a 5.

FÁBIO GRELLET / RIO , O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2011 | 03h03

Serão oferecidas as doutrinas católica, evangélica/protestante, afro-brasileiras, espírita, orientais, judaica e islâmica. Quem não quiser esse curso terá, no mesmo horário, a disciplina Educação para Valores. A Secretaria Municipal de Educação fará uma pesquisa para verificar o interesse dos alunos.

"Fizemos uma consulta com 6 mil pais e 42% seguiam a religião católica, 32% optaram pelo ensino de valores, 23% eram de religiões evangélicas e o restante, dos demais credos. Em fevereiro, teremos todos os dados tabulados para saber a demanda específica. Quando fizermos concurso para professor, já saberemos o quantitativo de vagas", disse a subsecretária municipal de Educação, Helena Bomeny.

Para Paes, a disciplina não indica intervenção religiosa no Estado. "Quanto mais as pessoas conhecerem a história das religiões, menos preconceito terá", disse. Até 2020, todas as escolas da rede terão turno integral e oferecerão ensino religioso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.