Prefeitura de SP quer regularizar lojas da Galeria Pagé

A Prefeitura de São Paulo vai assinou um termo de compromisso com os lojistas da Galeria Pagé, no centro da capital, para evitar a venda de produtos falsificados, contrabandeados ou com sonegação fiscal no local. As lojas da galeria voltaram a funcionar hoje, após o término da fiscalização realizada pela administração municipal.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

19 de abril de 2011 | 16h10

Durante a operação, 54 pessoas foram detidas e encaminhadas para as Polícias Civil e Federal. Destes, 16 eram estrangeiros irregulares e poderão ser deportados. No total, 148 lojas tiveram produtos apreendidos e levados para depósitos. A estimativa é de que um milhão de itens tenham sido apreendidos, principalmente relógios, óculos, vestuários, tênis, brinquedos e eletrônicos. A Vigilância Sanitária emitiu dois autos de infração e uma interdição por falta de higiene e outras irregularidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.