Prefeitura do Rio não fará oposição a manifestações

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse hoje, em coletiva de imprensa, que a Cidade não fará oposição a manifestações. Paes foi questionado por um repórter sobre medidas para impedir protestos, como o realizado ontem na praia de Copacabana ao fim da encenação da Via Crucis.

SABRINA VALLE, Agência Estado

27 de julho de 2013 | 17h05

Paes levou para a coletiva um trecho, que leu para jornalistas, do discurso do Papa Francisco sobre sempre haver a "opção do diálogo". Acrescentou que "ninguém quer segurar" as manifestações.

"As manifestações são algo absolutamente normal num País democrático. E graças a Deus o Papa está num país democrático", disse. Paes ressaltou que tem se mostrado aberto ao diálogo com opositores e com a mídia, inclusive "dando a cara a tapa" sobre as falhas de organização do evento.

Sobre iniciativas para evitar que os problemas voltem a acontecer na Copa do Mundo de 2014 e nas Olimpíadas de 2016, Paes disse que deixaria os comentários sobre outros eventos para depois. Lembrou apenas que a Jornada Mundial da Juventude tem um grau de imprevisibilidade maior do que os eventos esportivos.

Mais conteúdo sobre:
Eduardo PaesJMJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.