Prejuízo ao prédio da Alerj pode chegar a R$ 2 milhões

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Paulo Melo (PMDB), informou nesta terça-feira, 18, que o prejuízo com o vandalismo ao prédio ficou entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões. O edifício histórico foi atacado ao fim do protesto dessa segunda, 17, contra o aumento das passagens de ônibus. Segundo Melo, 30% dos vitrais do segundo andar foram quebrados. Logo na entrada do prédio, ainda há mobiliário destruído, extintores de incêndio jogados no chão e muita desordem. Até o final da manhã desta terça o prédio seguia protegido por policiais militares do Batalhão de Choque.

ROBERTA PENNAFORT, Agência Estado

18 de junho de 2013 | 12h29

No Paço Imperial, ao lado da Alerj, as pichações estão sendo apagadas por garis da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), assim como na Igreja de São José, que também fica ao lado da Assembleia. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ainda dará informações mais detalhadas dos danos às construções.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosRioprejuízo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.