Premiê britânico diz que decapitação de refém mostra barbárie do Estado Islâmico

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse nesta sexta-feira que o assassinato do refém britânico Alan Henning mostrou a barbárie dos militantes do Estado Islâmico.

REUTERS

03 de outubro de 2014 | 19h04

"O assassinato brutal de Alan Henning pelo Isil mostra o quão bárbaro e repugnante são estes terroristas", disse Cameron. "Meus pensamentos e orações estão nesta noite com a mulher de Alan, Barbara, seus filhos e todos aqueles que o amavam."

"Alan tinha ido à Síria para ajudar a levar auxílio a pessoas de todas as religiões em sua hora de necessidade", disse Cameron depois que um vídeo mostrando supostamente a decapitação de Henning foi publicado na Internet.

"Faremos tudo o que pudermos para caçar esses assassinos e trazê-los à Justiça."

(Reportagem de Guy Faulconbridge)

Mais conteúdo sobre:
REINOUNIDODECAPITACAOCAMERON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.