Premiê sírio foge para a Jordânia e se une à oposição-porta-voz

O primeiro-ministro sírio Riyad Hijab desertou da administração do governo do presidente Bashar al-Assad e se uniu à oposição, afirmou um porta-voz na segunda-feira, em uma transmissão na televisão Al Jazeera.

Reuters

06 de agosto de 2012 | 07h45

"Eu anuncio hoje minha deserção do regime assassino e terrorista e anuncio que me uni ao grupo da revolução da liberdade e dignidade. Eu anuncio que a partir de hoje sou um soldado nesta abençoada revolução", afirmou Hijab em um comunicado lido em seu nome pelo porta-voz.

Segundo o representante, Hijab está em um lugar seguro.

A fuga do premiê foi uma das deserções de maior visibilidade do círculo político e militar do presidente Bashar al-Assad. No domingo, a televisão Al Arabiya relatou que um alto oficial da inteligência síria também havia desertado para a Jordânia.

Hijab, um muçulmano sunita da província de Deir al Zor, também sunita, pertencia ao aparato do partido da situação, o Baath.

A televisão estatal disse que Omar Ghalawanji, que era o vice-primeiro-ministro e também ministro da administração local, comandaria temporariamente um governo provisório.

Assad havia apontando Hijab, ex-ministro da Agricultura, como primeiro-ministro em junho, após as eleições parlamentares que vieram depois de quase um ano de protestos violentos contra o governo de Assad.

(Reportagem de Khaled Yacoub Oweis, Redação de Amã)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAPREMIEFOGE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.