Prêmio Esso 2011 dá vitória tripla ao 'Estado'

Jornal é o mais premiado no tradicional concurso com reportagem sobre as fraudes do Banco Panamericano, flagrante fotográfico que salvou uma vida e criatividade gráfica

O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2011 | 03h04

Quando o resultado do Prêmio Esso de Jornalismo 2011 - o mais tradicional do País - foi divulgado, na quarta-feira, o Estado destacou-se como o jornal mais premiado, vencendo em três categorias: Informação Econômica, Fotografia e Criação Gráfica para jornal.

O grande prêmio foi concedido à Folha de S. Paulo pelas reportagens assinadas por Andreza Matais, José Ernesto Credendio e Catia Seabra, em maio, sobre o enriquecimento do então ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. O prêmio de melhor reportagem saiu para Fabiana Moraes, do Jornal do Commercio, que acompanhou a rotina de um agricultor que mudou de sexo (veja a lista completa de vencedores nesta pág.).

Fraudes. O prêmio de Informação Econômica foi para a série de reportagens sobre as fraudes no Banco Panamericano, de Sílvio Santos, de autoria de David Friedlander, Leandro Modé, Fausto Macedo e Sonia Racy.

O escândalo estourou em novembro, quando o Panamericano comunicou que recebeu um aporte de R$ 2,5 bilhões do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), criado para proteger os depósitos dos clientes do sistema financeiro do País. Um mês antes, o Banco Central descobriu fraudes contábeis no Panamericano. Os diretores estavam registrando ativos e créditos fictícios para inflar os resultados da instituição.

O caso abalou os alicerces do grupo Silvio Santos e deixou o governo em situação delicada, porque a Caixa Econômica Federal não descobriu a fraude - que, soube-se depois, chegaria a R$ 4,3 bilhões - quando se tornou sócia minoritária do banco.

Violência abortada, o trabalho do Estado premiado na categoria Fotografia, salvou uma vida. Graças a uma ação registrada em flagrante pelo repórter fotográfico Epitácio Pessoa em Lorena (SP), um jovem de 19 anos, Adriano Carlos Gonçalves da Silva, coletor de material reciclável, deixou de ser morto por dois outros rapazes, que o haviam amarrado (mais informações na pág. A29).

Dennis Fidalgo Doimo e André Graciotti foram premiados na categoria Criação Gráfica para jornal pelo trabalho Troca de olhares, publicado em abril pelo Guia, sobre a abertura da exposição do artista gráfico holandês Maurits Cornelis Escher (1898-1972) em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.