Prêmio por pele vai de R$ 0,50 a R$ 25

Frigorífico classifica couro por categorias, que avaliam sinais de marcação a fogo, bernes, carrapato e escoriações

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2008 | 04h19

Pelo Programa de Classificação de Couros, o frigorífico Independência premia os pecuaristas que adotam manejo adequado e cuidados com o couro dos animais. Segundo o gerente do Mercado de Couros do Independência, Adriano Henrique Resende de Freitas, os couros recebidos são classificados em uma escala que define o valor do prêmio. O valor pago varia de R$ 25 (1ª e 2ª classificação) a R$ 0,50 (6ª classificação) por pele. O prêmio de R$ 25 por pele é pago por couros sem nenhuma incidência de marca de fogo, carrapato, berne, mosca-do-chifre e escoriações. Obter essa classificação, porém, é difícil, admite Freitas. "Mas há classificações intermediárias, que são menos rigorosas." Couros muito comprometidos - com alta incidência de marca de fogo, carrapatos, berne, mosca-do-chifre e escoriações - são classificados como "R" (refugo) e o produtor não recebe nada. Carrapatos e marcas de fogo em local inadequado são as principais causas de desvalorização do couro nacional, diz Freitas. "Embora seja difícil seguir a norma técnica, a marca a fogo deve ser feita em uma das patas traseiras, abaixo da linha da barriga." Segundo Freitas, o programa, que existe desde 2000, foi criado para estimular o criador a preservar a qualidade do couro. "Percebemos que o criador só teria cuidados se fosse remunerado por isso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.