Presa dupla que enviava droga em caixa de som para BA

Policiais civis desbarataram um sistema de distribuição de drogas chamado de operação Radiola. Nele, traficantes usavam pessoas comuns vindas do Nordeste para levar pastas de cocaína de São Paulo para a Bahia. A droga era escondida em aparelhos de som e seguiam de ônibus ao destino. O crime foi descoberto por policiais da Divisão de Investigações sobre Roubo e Furto e Veículos e Cargas (Divecar) do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) da Polícia Civil no final de novembro, mas foi divulgado ontem. Na operação, dois homens foram presos. Primeiro, foi o ajudante José Valdir de Souza Santos, o Zé Branco, 23 anos. Ele foi flagrado dia 30 de novembro na rodoviária de São Bernardo (SP) com 1 quilo de pasta de cocaína, que seria transformada em crack e vendida na Bahia. Pouco depois, os policiais prenderam, em Itariri - litoral paulista - o comerciante José Robson Santos de Souza, o Terrinha, 36 anos, que contratava os ?mulas? (quem transportava a droga). ?Eles (traficantes) utilizavam pessoas que vinham a São Paulo e voltam com aparelhos eletrodomésticos, especialmente microsystem?, disse Silva. Segundo o delegado, a escolha do nordestino com um aparelho de som era uma forma de despistar a fiscalização policial. Os ?mulas? eram recrutados nas rodoviárias e recebiam cerca de R$ 1.000. A maioria sabia estar praticando ato ilícito. As informações são do Jornal da Tarde.

AE, Agencia Estado

17 Dezembro 2008 | 09h55

Mais conteúdo sobre:
tráfico SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.