Presas doam o cabelo para fazer perucas

Quarenta internas do presídio feminino de Bubu, em Cariacica, no Espírito Santo, cortaram seus cabelos e os doaram para uma confecção de perucas naturais que serão usadas por mulheres que estão em tratamento contra um câncer no Hospital Santa Rita de Cássia, em Vitória.

O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2012 | 03h06

A iniciativa surgiu dentro do próprio presídio por conta da demanda natural por corte de cabelo das detentas. A ideia foi tão bem recebida, que até familiares das presas se interessaram em fazer esse tipo de doação, caso a unidade faça outra campanha.

Os cortes de cabelo das mulheres do presídio foram feitos no decorrer de 15 dias e a entrega das mechas aconteceu há dez dias em uma ação realizada em parceria com a Associação Feminina de Educação e Combate ao Câncer (Afecc), que contou com a participação do cabeleireiro Dirceu Paigel, responsável pela confecção das perucas.

Uma das ações da Afecc é estimular a doação de cabelo para ajudar mulheres com câncer. A entidade recebe cerca de 30 pedidos de peruca por mês.

Os cabelos das detentas de Cariacica vão se juntar aos outros que já foram doados - é preciso uma grande quantidade de fios para a confecção de uma peruca natural, que custa cerca de R$ 1,1 mil cada. Uma peruca com fio de cabelo artificial custa a partir de R$ 150.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.