Presidente da Aviva renuncia em meio à revolta de investidores

O presidente-executivo da Aviva Andrew Moss se tornou a primeira vítima do questionamento, por investidores, ao pagamento de executivos da empresa, renunciando do cargo depois que o plano de remuneração que foi rejeitado por acionistas na semana passada.

MATT SCUFFHAM, REUTERS

08 Maio 2012 | 13h27

Investidores tinham pedido a saída de Moss em uma conturbada reunião anual de acionistas na quinta-feira passada, furiosos com o fato de que os pagamentos da diretoria continuaram a subir apesar da fraca performance das ações do grupo.

A decisão de Moss de abrir mão de seu aumento salarial, anunciada três dias antes do encontro, não conseguiu impedir a rebelião e a seguradora informou nesta terça-feira que ele comunicou ao chairman da companhia, Colin Sharman, que estava deixando a presidência-executiva.

A Aviva disse que vai divulgar detalhes dos termos financeiros da saída de Moss.

As ações da Aviva tiveram alta de 0,2 por cento nesta terça-feira e acumulam perda de 35 por cento desde março do ano passado, e o descontentamento de investidores tem aumentado.

Mais conteúdo sobre:
FINANCASAVIVACEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.