Presidente da Beija-Flor minimiza suspeitas de 2007

O presidente da Beija-Flor, Farid Abraão David, disse durante a comemoração do bicampeonato da escola que o resultado não tem o caráter de "calar a boca" dos adversários. Ele se referia às suspeitas de que o título de 2007 havia sido manipulado. "A gente não precisa calar a boca de ninguém porque o nosso passado diz quem nós somos. O que fizeram foi uma maldade e não ficou nada provado", afirmou. Ele atribuiu a vitória "à força da comunidade".Entre os integrantes do Salgueiro, o clima é de alegria e certeza de superação. A escola ficou em segundo lugar, o que não acontecia há muitos anos. "Esse vice-campeonato tem sabor de campeonato. Nosso presidente ficou doente. Se ele estivesse na Sapucaí teríamos sido campeões", acredita Marcelo Tijolo, vice-presidente de Esportes da agremiação.

ROBERTA PENNAFORT, Agencia Estado

06 de fevereiro de 2008 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.