Presidente da Câmara pede reforço da segurança

Manifestantes ocuparam há poucos minutos a cobertura onde ficam as cúpulas da Câmara e do Senado, no Congresso Nacional, símbolo da capital federal. A ocupação foi tensa. Quando os primeiros manifestantes invadiram o local, houve reação da segurança e muitos correram na tentativa de deixar o local. O clima se acirrou e pelo menos uma bomba de efeito moral foi disparada pelos policiais. Neste momento, os manifestantes começam a descer do local. O piso onde estavam fica a vários metros do chão e não há grades de contenção, uma vez que o local tradicionalmente é fechado ao público e vigiada por seguranças.

AYR ALISKI E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

17 de junho de 2013 | 19h57

Os manifestantes ainda não conseguiram ocupar a parte interna do prédio, mas o presidente em exercício da Câmara, deputado André Vargas (PT-PR), ligou para o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, pedindo reforço no efetivo policial para garantir a proteção do patrimônio público.

No início da manifestação, o prédio havia sido cercado pelos policiais, mas os manifestantes romperam o cerco e foram invadindo a área isolada através do espelho d''água. Neste momento, os policiais já não têm mais controle sobre os manifestantes.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosPlanalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.