Presidente da Comissão Europeia diz que UE pode ampliar sanções contra a Rússia

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, afirmou neste sábado que a União Europeia (UE) está preparada para ampliar as sanções contra a Rússia devido à crise na Ucrânia, mas que o bloco também quer que um acordo seja alcançado para encerrar o conflito.

REUTERS

30 Agosto 2014 | 10h05

Em coletiva de imprensa realizada em Bruxelas, ao lado do presidente ucraniano, Petro Poroshenko, Barroso afirmou: “Estamos prontos para tomar medidas muito fortes e claras, mas mantemos nossas portas abertas para uma solução política”.

Ele descreveu que a ampliação das sanções não teria a intenção de aumentar a crise, mas sim pressionar Moscou a negociar.

Ele salientou que a UE não almeja o confronto: “Não faz sentido termos uma nova Guerra Fria”, disse. Barroso também afirmou que isso seria “prejudicial para toda a Europa”.

Poroshenko, concordando com as autoridades da União Europeia, afirmou esperar que um encontro de líderes do bloco neste sábado resulte em um pedido formal para que a Comissão Europeia crie novas sanções a serem implementadas se necessário.

Barroso disse que as autoridades já possuem uma vasta gama de opções para propor aos países-membros.

(Reportagem de Adrian Croft)

Mais conteúdo sobre:
USUCRANIARUSSIAUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.