Presidente da Geórgia 'foi reeleito', diz comissão eleitoral

Números preliminares das autoridades indicam que não será preciso segundo turno.

BBC Brasil, BBC

06 de janeiro de 2008 | 18h10

A comissão eleitoral da Geórgia anunciou neste domingo que resultados preliminares indicam que o presidente do país, Mikhail Saakashvili, venceu a eleição presidencial realizada neste sábado.Segundo a comissão, Saakashvili obteve 52,8% dos votos. A lei georgiana diz que, para evitar um segundo turno, um candidato à Presidência deve vencer no primeiro turno com mais de 50% dos votos.Observadores europeus das eleições presidenciais da República da Geórgia disseram que a votação ocorreu de acordo com os padrões internacionais e seguiu os requisitos democráticos.No entanto, centenas de simpatizantes da oposição realizaram um protesto na capital do país, Tblisi, alegando que houve fraude no pleito.RússiaAntes, o governo da Rússia já havia criticado o endosso dos observadores europeus às eleições georgianas, dizendo que a avaliação feita por eles foi superficial e que houve inúmeras irregularidades na eleição.As autoridades negaram as acusações de fraude, e o presidente em exercício, Nino Burjanadze, disse à BBC que as eleições haviam sido "livres, justas e democráticas". Saakashvili convocou eleições antecipadas numa tentativa de provar suas credenciais democráticas após fortes protestos da oposição terem sido reprimidos em novembro. Além de votar para presidente, os georgianos votaram em um referendo sobre se deveriam ter uma eleição parlamentar nos próximos meses e se o país deveria entrar para a Otan, a aliança militar ocidental.Advogado formado nos Estados Unidos, Saakashvili chegou ao poder em 2003, após protestos populares que ficaram conhecidos como "a Revolução Rosa".Durante seu governo, o país fortaleceu suas relações com a Otan e com a União Européia, mas as relações com a Rússia enfrentaram turbulências e, como conseqüência, a economia da Geórgia foi fortemente atingida.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.