Presidente da Mangueira elogia mulher de Beira-Mar

O presidente da Mangueira, Percival Pires, admitiu hoje que é amigo de Jacqueline Alcântara de Morais, mulher do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que foi presa no dia 22 pela Polícia Federal acusada de comandar o esquema de tráfico de drogas do marido. Pires descreveu Jacqueline como "querida amiga" e "mangueirense, gentilíssima e maravilhosa, que sempre esteve presente prestigiando a escola".Ele confirmou a entrega de uma placa em homenagem ao casal no dia 20 de outubro, na festa pelo casamento dos dois realizada no Condomínio Rio Mar, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. A foto divulgada pela Polícia Federal mostra Pires entregando a placa para a mulher do criminoso. Ambos estão cercados por um casal de mestre-sala e porta-bandeira. Beira-Mar, que cumpre pena na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS), não foi à festa.Convite"Recebi o convite da nossa Jacqueline. Não recebi um convite do Fernandinho Beira-Mar. Eu tive várias oportunidades de recebê-la aqui na quadra em vários eventos da Mangueira. Até aquele momento ela era uma pessoa íntegra, legal como todos. Depois aconteceu isso (a prisão de Jacqueline). Se não tivesse acontecido isso, não estaríamos aqui", afirmou Pires.O presidente da escola disse que o casal pagou R$ 2,5 mil pela presença de 18 ritmistas e passistas da escola na festa e justificou sua presença no evento dizendo que sempre comparece quando um dos noivos é "íntimo da escola". Ele chegou a afirmar que Jacqueline nunca fez doações à escola, mas foi desmentido pelo diretor jurídico da agremiação, Nélio Andrade, que revelou a doação de 50 cestas básicas no ano passado. Andrade é professor de Jacqueline no curso de Direito na Universidade Cândido Mendes. "Ela é excelente aluna", avaliou o advogado.

PEDRO DANTAS, Agencia Estado

29 de novembro de 2007 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.