Presidente da OAB cobra punição rigorosa para Chevron

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Júnior, cobrou, em Curitiba, no Paraná, hoje, uma "punição rigorosa" para a Chevron, em razão do vazamento de óleo no Campo do Frade, na Bacia de Campos. "O governo e o Judiciário brasileiros, a partir de uma provocação do Ministério Público, precisa penalizar a Chevron de uma forma muito forte", afirmou ele em entrevista após a abertura da 21ª Conferência Nacional dos Advogados.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

21 de novembro de 2011 | 14h15

Segundo Ophir Cavalcante, isso é necessário porque há muitos poços sendo abertos, o que exigirá maior fiscalização. "Se não tivermos o cuidado técnico necessário, certamente desastres ecológicos como esse vão continuar acontecendo", disse ele. O presidente da OAB também ponderou que, em relação às multas, "quero crer que é o momento de se discutir uma majoração".

Tudo o que sabemos sobre:
vazamentoChevronOAB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.