Presidente da Síria visita ex-reduto rebelde em Homs

O presidente sírio, Bashar al-Assad, visitou nesta terça-feira o bairro de Baba Amr, antigo reduto rebelde na cidade de Homs, onde conversou com simpatizantes nas ruas devastadas por meses de bombardeios e tiroteios.

REUTERS

27 Março 2012 | 11h32

A TV estatal mostrou Assad, de camisa com colarinho aberto e paletó azul, passeando por Baba Amr. O bairro foi retomado no mês passado pelas forças governistas, após 26 dias de cerco e de bombardeios que terminaram com a fuga dos rebeldes.

"A vida vai voltar ao normal em Baba Amr, melhor do que era antes", disse Assad a um grupo que dava gritos de apoio ao presidente.

Ativistas dizem que centenas de civis e oponentes de Assad foram mortos em Homs no mês de fevereiro pelos bombardeios militares e por disparos de francoatiradores.

Caminhando lentamente sob garoa, Assad viu edifícios destruídos e queimados. Ele acenou e sorriu para as pequenas multidões que saíam para cumprimentá-lo.

No mesmo dia, um porta-voz do enviado internacional Kofi Annan disse que Assad aceitou um plano de paz que prevê um cessar-fogo e o estabelecimento de um diálogo nacional, mas sem condicionar isso à renúncia de Assad ou a uma partilha de poderes.

"Ele acha que venceu e que anotou uma grande vitória", disse o ativista Saif Hurria falando por telefone de Homs. "Ele quer mostrar ao mundo que derrotou e debelou uma revolução. Mas na verdade ele não consegue controlar Homs ... Parece que ele não consegue nem divulgar o vídeo antes de sair de Homs. Isso não é controle."

Também nesta terça-feira, forças sírias entraram no território libanês, destruíram imóveis rurais e travaram confronto com rebeldes sírios que haviam se refugiado na área, segundo moradores e forças locais de segurança.

(Reportagem de Dominic Evans e Erika Solomon)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAASSADHOMS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.