Presidente da Ucrânia diz que trégua não está funcionando, segundo jornal

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, acusou os separatistas apoiados pela Rússia de não respeitar o cessar-fogo com os militares ucranianos e pediu mais sanções contra Moscou, em comentários a um jornal alemão que serão publicados nesta segunda-feira.

REUTERS

15 de março de 2015 | 13h04

Os ataques têm sido menos frequentes desde o último cessar-fogo, que começou a vigorar no mês passado, mas um lado acusa o outro de violações. Os militares ucranianos disseram na semana passada que os rebeldes estavam usando a trégua para reunir armamento pesado.

Um acordo assinado em setembro prevê a retirada do armamento pesado da linha de frente.

"A Ucrânia cumpriu cada ponto do acordo. O cessar-fogo tem sido implementado de forma imediata da nossa parte, mas os combatentes russos estão fazendo o oposto”, disse o presidente Petro Poroshenko ao jornal Bild.

“Todos os dias há tiros do lado russo, mais de 60 vezes por dia frequentemente. No total, o cessar-fogo foi quebrado 1.100 vezes”, disse. “A verdade é que o acordo não está funcionando.”

Poroshenko pediu sanções adicionais contra a Rússia pela violação ao cessar-fogo.

Numa reunião em Bruxelas na quinta-feira e na sexta-feira, líderes europeus irão discutir as sanções impostas à Rússia.

(Reportagem de John O'Donnell)

Mais conteúdo sobre:
UCRANIATREGUASEMFUNCIONAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.