Presidente do Conselho do Google vai a Mianmar, mercado recém-aberto

O presidente do Conselho de Administração do Google, Eric Schmidt, planeja ir a Mianmar na próxima semana, sendo o primeiro executivo de empresas de tecnologia a visitar o país após reformas que levaram nações ocidentais a aliviar sanções seguidas a décadas de ditadura militar.

AUNG HLA TUN, Reuters

15 de março de 2013 | 13h31

Desde que os militares de Mianmar se retiraram e um govermo semi-civil foi instalado em 2011, desencadeando uma onda de reformas políticas e econômicas, o país tem desfrutado de um crescente interesse por parte de companhias estrangeiras.

A antiga Birmânia é o último território virgem aos negócios na Ásia, com os mercados não explorados abrangindo o setor de telecomunicação: a penetração de celulares no país de 60 milhões de pessoas é de meros 5 a 10 por cento.

A viagem a Mianmar será a segunda visita de Schmidt este ano a um país fora de caminhos já percorridos. Em janeiro, ele esteve na Coreia do Norte, alegando ser uma viagem pessoal para debater a respeito de uma Internet livre e aberta.

Schmidt deve fazer um discurso no Parque de Tecnologia de Informação e Comunicação de Mianmar, em Yangun, em 22 de março, antes de ir à capital Naypyitaw, onde encontrará autoridades do governo, disse Zaw Min Oo, secretário-geral da Sociedade de Computação de Mianmar.

Tudo o que sabemos sobre:
TECHGOOGLEMIANMAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.