Presidente do Egito diz que não deixará Gaza 'por conta própria'

O presidente do Egito, Mohamed Mursi, classificou os ataques de Israel à Faixa de Gaza como "uma agressão flagrante contra a humanidade" e disse que seu país "não deixará Gaza por conta própria", informou a agência de notícias estatal Mena.

Reuters

16 de novembro de 2012 | 10h37

Mursi fez os comentários em um discurso após as orações de sexta-feira em uma mesquita no centro do Cairo, disse a Mena. O primeiro-ministro egípcio, Hisham Kandil, visitou a Faixa de Gaza na sexta-feira.

"Cairo não deixará Gaza por conta própria... O Egito de hoje não é o Egito de ontem, e os árabes de hoje não são os árabes de ontem", disse Mursi.

(Reportagem de Omar Famy e Shaimaa Fayed)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOGAZAPRESIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.