Presidente do Ibama pede demissão e alega motivos pessoais

O Ministério do Meio Ambiente confirmou nesta quarta-feira que o presidente do Ibama, Abelardo Bayma, deixou o cargo, alegando motivos pessoais. O nome de um substituto ainda não foi anunciado.

REUTERS

12 Janeiro 2011 | 14h31

Segundo a assessoria de imprensa do ministério, Bayma pediu para ser exonerado. A pasta esclareceu que a saída se deve a motivos pessoais e que, ainda no ano passado, Bayma havia se comprometido com a ministra Izabella Teixeira a permanecer no cargo até 31 de dezembro.

Ainda não foi escolhido um nome para substituí-lo. Bayma, como todos os presidentes do Ibama, vinha sofrendo pressões de outras áreas do governo por conta da concessão de licenças ambientais.

O recém-empossado ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, recentemente criticou o atraso na emissão de licenças para usinas, especialmente a hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

A licença para instalação do projeto deveria ter saído no fim do ano passado, mas segundo previsão do próprio Lobão só deverá ser liberada em fevereiro.

(Reportagem de Leonardo Goy)

Mais conteúdo sobre:
POLITICAIBAMASAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.