Presidente do Mali é ferido e internado após invasão de palácio

O presidente interino do Mali, Dioncounda Traore, foi agredido e levado a um hospital depois que centenas de manifestantes invadiram o palácio presidencial na segunda-feira exigindo a sua renúncia, disseram autoridades e diversos manifestantes.

REUTERS

21 Maio 2012 | 15h31

Um porta-voz dos soldados responsáveis por um golpe em 22 de março disse que os guarda-costas de Traore mataram três pessoas durante o ataque. Os manifestantes entraram em partes do complexo do palácio sem dificuldades e rasgaram fotos de Traore.

O Mali tem enfrentado dificuldades após um golpe de Estado e uma rebelião subsequente no norte do país, situado no deserto do Saara. O chefe da junta militar que tomou o poder, Amodou Haya Sanogo, havia concordado no fim de semana em retirar as objeções à permanência de Traore no poder, mas a multidão foi para as ruas na segunda-feira pedindo a saída dele.

A solução da crise política na capital Bamaco é um pré-requisito para a obtenção de ajuda estrangeira nos esforços de retomar o controle do norte, agora sob o controle de separatistas e rebeldes islâmicos, incluindo alguns combatentes da Al Qaeda.

"Ele (Traore) acabou de ser levado às pressas ao hospital...Eles o espancaram gravemente e tiraram as roupas dele", disse por telefone Bakary Mariko, porta-voz do CNRDRE, organismo de soldados que no mês passado concordou em permitir uma transição para um governo civil.

Sekou Sidibe, que testemunhou os acontecimentos, disse que Traore foi ferido no rosto e levado ao hospital pelo primeiro-ministro interino e seus guarda-costas.

Soldados ficaram impassíveis enquanto os civis entravam nos prédios do complexo. Alguns manifestantes estacionaram motos e bicicletas nas salas do palácio.

(Por Adama Diarra)

Mais conteúdo sobre:
MALIPRESIDENTEFERIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.