Presidente do Peru quer que Bolívia se conecte a futuro gasoduto no sul do país

O presidente do Peru, Ollanta Humala, disse que a construção de um gasoduto de 4 bilhões de dólares no sul do Peru abrirá a possibilidade de que a Bolívia conecte sua rede de gás e dê maior dimensão ao projeto.

MARCO AQUINO, REUTERS

13 de julho de 2014 | 11h05

O gasoduto, cuja concessão para construir e operar foi arrematado por consórcio entre a brasileira Odebrecht e a espanhola Enagás deverá estar pronto em 56 meses.

"Este é um projeto que transcende um governo", disse Humala no sábado, em entrevista à Reuters.

Humala disse que que deve conversar sobre o assunto com o governo boliviano de Evo Morales.

Entre os planos do Peru está o de se transformar em um exportador de energia elétrica a seus vizinhos da América do Sul.

((Tradução Redação Brasília; 55 61 3426-7026))

REUTERS LG

Tudo o que sabemos sobre:
PERUGASODUTOBOLIVIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.