Presidente do StanChart vai aos EUA defender banco no caso Irã

O presidente-executivo do Standard Chartered, Peter Sands, foi a Nova York para liderar as negociações com reguladores dos Estados Unidos sobre as acusações de que o banco escondeu transações com o Irã.

Reuters

14 de agosto de 2012 | 10h41

Sands comparecerá à audiência na quarta-feira em que o banco inglês terá que argumentar com o regulador bancário de Nova York por que não deve perder, em decorrência dessas transações, a licença para operar no Estado.

Um porta-voz do Standard Chartered declarou nesta terça-feira que o banco está esperando saber pelo regulador de Nova York como será a audiência. O Departamento de Serviços Financeiros não deu detalhes de como a sessão será conduzida.

Sands vai trabalhar com os advogados do banco nos Estados Unidos que estão negociando um acordo com as autoridades, afirmou o porta-voz.

Na semana passada, os Estados Unidos acusaram o banco de omitir 250 bilhões de dólares em transações com o Irã, o que Sands negou, alegando que as operações que desobedeciam às sanções norte-americanas não chegavam a 14 milhões de dólares.

(Por Matt Scuffham)

Mais conteúdo sobre:
BANCOSTANCHARTLEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.