Presidente eleito do Egito diz que respeitará tratados

O presidente eleito do Egito, o islâmico Mohamed Morsy, disse neste domingo que o país honrará seus tratados internacionais, num gesto claro para Israel, que se mostrava preocupado com o tratado de paz firmado há 33 anos com o Cairo.

REUTERS

24 de junho de 2012 | 17h39

"Manteremos os tratados internacionais e acordos entre o Egito e o mundo", disse Morsy em seu primeiro pronunciamento transmitido pela televisão, acrescentando que o Egito quer estar em paz com o resto do mundo, mas tem capacidade de se defender de qualquer ataque.

Em seu pronunciamento, Morsy, que foi candidato a presidente pelo grupo islâmico Irmandade Muçulmana, também prometeu ser o presidente de todos os egípcios.

Ele foi declarado neste domingo vencedor da eleição e classificou o episódio como "momento histórico".

Em meio à ansiedade gerada no país após a declaração do resultado por conta do histórico de confrontos entre a Irmandade Muçulmana e as Forças Armadas, que governaram o Egito por seis décadas, Morsy elogiou o Exército pelo papel que desempenhou em governar o Egito desde a destituição do ex-presidente Hosni Mubarak no ano passado.

Ele também prometeu cumprir todos os objetivos daqueles que participaram da revolta que derrubou Mubarak.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITONOVOPRESIDENTEFALA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.