Presidente romeno deve seguir no cargo após baixo comparecimento

O baixo comparecimento neste domingo a um referendo sobre o impeachment do presidente romeno Traian Basescu pode minar o esforço de seus adversários para derrubá-lo do cargo.

Reuters

29 de julho de 2012 | 17h00

A agência eleitoral disse que o comparecimento era de 37,7 por cento às 20h (horário local), sugerindo que a União Social Liberal do primeiro-ministro Victor Ponta, de esquerda, dificilmente conseguiria que metade do eleitorado votasse até o encerramento das urnas, às 23h.

A não ser que pelo menos 50 por cento dos eleitores votem, o referendo será invalidado, preparando o cenário para mais confrontos entre Basescu e seus oponentes no governo.

Os esforços de Ponta para derrubar Basescu já provocaram uma severa repreensão da União Europeia, que o acusou de minar o estado de direito e intimidar juízes.

Ponta, cujo governo assumiu em maio, suspendeu Basescu e manteve o referendo para buscar apoio popular para seu impeachment por abuso de poder.

Pesquisas de opinião mostram que cerca de 65 por cento dos romenos querem retirar do cargo o ex-capitão de navio, mas a oposição pediu um boicote ao voto.

Muitas pessoas estavam de férias no dia do referendo, quando a temperatura atingia os 39 graus, fazendo com que o governo abrisse locais de votação adicionais, muitos nos restaurantes e hotéis à beira-mar, para facilitar a votação.

"Embora minha esposa trabalhe no setor público e Basescu tenha reduzido o salário dela, eu não vou votar e isso mostra o quanto eu desconfio da USL", disse Ionut Bragan, motorista que esperava para atravessar a estrada sob o sol quente de Bucareste.

(Por Luiza Ilie e Sam Cage)

Tudo o que sabemos sobre:
ROMENIAREFERENDOPRESIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.