Presidente ucraniano vê saída de 'mercenários' russos como chave para a paz

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse no sábado, após reunião com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que está pronto para trabalhar com a Europa para trazer a paz para seu país, mas disse que a Ucrânia nunca sacrificaria seu território ou desistiria de sua independência.

REUTERS

23 Agosto 2014 | 09h53

Falando em uma coletiva de imprensa conjunta com Merkel, ele disse que a paz poderia ocorrer rapidamente em seu país, uma vez que combatentes separatistas armados e "mercenários estrangeiros" - ou seja, da Rússia - forem removidos.

"O lado ucraniano e os nossos parceiros europeus vão fazer todo o possível para trazer a paz - mas não à custa da soberania, integridade territorial e independência da Ucrânia", disse ele.

(Reportagem de Richard Balmforth)

Mais conteúdo sobre:
UCRANIA PRESIDENTE MERCENARIOSRUSSOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.