Preso no RS pastor suspeito de conivência com tortura

Porretes e tábuas com pregos, que seriam usados para intimidar ou agredir os internados, foram encontrados

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

09 de maio de 2008 | 18h28

A Polícia Civil interditou as cinco unidades do Centro de Recuperação de Dependentes Químicos Cidade do Refúgio e prendeu o pastor Tarcílio Quirino, responsável pelas casas, em operação conjunta com o Ministério Público Estadual, nesta sexta-feira, 9. Dois monitores da instituição, que abrigava 335 internados, já haviam sido presos na noite de quarta-feira sob a acusação de prática de agressões físicas contra pacientes que não seguiam as normas internas.Nas buscas, os policiais e promotores encontraram porretes e tábuas com pregos, que seriam usados para intimidar ou agredir os internados, e remédios de prescrição controlada. Os investigadores concluíram que o pastor, ligado à Igreja Missão Para Evangelização dos Povos, tinha conhecimento dos maus tratos aplicados aos jovens que se recolhiam ao centro para tentar superar a dependência de drogas. Em depoimento, Quirino sustentou que a Cidade de Refúgio não funciona como clínica, mas como um grupo de auto-ajuda coordenado por voluntários, e negou a prática de tortura na comunidade.

Tudo o que sabemos sobre:
tortura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.