Presos 4 PMs acusados de roubar caixas eletrônicos

A Polícia Civil de São Paulo prendeu hoje seis pessoas sob suspeita de integrar uma quadrilha de roubo a caixas eletrônicos. Entre os detidos estão quatro policiais militares e um ex-PM. As prisões foram realizadas durante uma operação do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). As equipes também estão cumprindo 13 mandados de busca e apreensão desde a madrugada.

PRISCILA TRINDADE E JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

31 de maio de 2011 | 12h46

Entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, foram registrados quatro ataques a caixas eletrônicos na capital e na Grande São Paulo. Somente nos primeiros cinco meses deste ano foram contabilizados 58 casos desse tipo na região metropolitana.

Fotos

Uma quadrilha de traficantes de droga presa ontem à noite, em Sorocaba, é suspeita de participação na onda de assaltos a caixas eletrônicos na região. No celular de um dos integrantes foram encontradas imagens desses equipamentos feitas de vários ângulos, inclusive da parte traseira. Os cinco suspeitos - quatro homens e uma mulher - foram presos pela Polícia Militar numa casa que funcionava como ponto de tráfico, no bairro Vitória Régia, zona norte da cidade.

As fotos dos caixas eletrônicos foram encontradas no celular do suspeito Angelo Oliveira Passonato, de 25 anos. A polícia acredita que as imagens eram usadas para o planejamento dos roubos. O grupo pode estar envolvido em ataques a dois caixas eletrônicos em Sorocaba e outros dois na cidade de Salto. Com os suspeitos, foram apreendidos dois revólveres calibre 38 e mais de 600 frascos com cocaína, além de uma agenda com anotações das vendas. Além de Angelo, foram presos Miguel Hardit, de 36 anos, Ivan Garcia Arruda, 33, Clodoaldo Aparecido de Lima, 31, e Cláudia Regina César, de 23 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
PMscaixas eletrônicosrouboprisãoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.