Presos contrários ao PCC são transferidos no Interior

Trezentos presos, que fazem oposição ao PCC, foram transferidos hoje da Penitenciária de Presidente Prudente para o presídio de Itirapina, na região central do Estado de São Paulo. Na semana que vem, a penitenciária deverá receber 200 condenados provenientes de outros presídios paulistas. Eles são considerados de alta periculosidade, já que pertencem ao PCC. A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) não quis se manifestar sobre a transferência nem sobre o envio desses 200 presos para Prudente. O Grupo Estado apurou que o motivo da transferência é evitar conflitos e rebeliões entre presos contrários ao PCC (Primeiro Comando da Capital) e os que apóiam a organização. Os presidiários foram transportados em seis ônibus escoltados por dez carros da Polícia Militar. O comboio saiu de Presidente Prudente às 9h. Com o remanejamento, a penitenciária, agora, está praticamente vazia. Apenas cem presos ocupam as celas. Eles são considerados neutros e, nessa condição, não se envolveram com o PCC nem com outros grupos. Localizada no distrito de Montalvão, a penitenciária tem capacidade para abrigar até 900 condenados.

SANDRO VILLAR, Agencia Estado

10 de outubro de 2007 | 22h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.