Presos em SP dois jovens por tráfico de drogas sintéticas

Eles foram presos com mais de 400 comprimidos de ecstasy e 135 micropontos de LSD ne região de Campinas

Tatiata Fávaro, O Estado de S.Paulo

10 Dezembro 2008 | 15h57

Policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) fizeram na terça-feira, 9, a maior apreensão de drogas sintéticas deste ano na região de Campinas, no interior paulista. O tatuador Djalma Sforza Tojal e o estudante de Educação Física Carlos Henrique dos Santos Olvieira foram presos por tráfico de entorpecentes. Com eles, a polícia encontrou 400 comprimidos de ecstasy e 135 micropontos de LSD que seriam vendidos em festas universitárias e raves na região, conforme informou o setor de inteligência da Dise. Os suspeitos, de 22 e 24 anos, respectivamente, foram presos no bairro Jardim Nova Europa e indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A investigação durou três meses, a partir da informação de que um jovem distribuía drogas no bairro em que foram presos os suspeitos. Na terça, a Dise realizou outros quatro flagrantes, prendeu outras oito pessoas, e apreendeu ainda 30 porções de maconha e 200 pedras de crack.

Mais conteúdo sobre:
tráfico LSD ecstasy Campinas SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.