Presos libertam reféns e encerram rebelião no Paraná

O segundo motim em menos de cinco dias na Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP II), na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), chegou ao fim no início da tarde desta quarta-feira, 17, após os policiais fecharem um acordo com os presos rebelados. Os detentos libertaram os dois agentes penitenciários que mantinham reféns.

JULIO CESAR LIMA, ESPECIAL PARA AE, Estadão Conteúdo

17 Setembro 2014 | 16h29

Não houve registro de morte, porém, um preso que pulou de um muro de uma altura de cinco metros aproximadamente precisou ser levado para um hospital por ter sofrido fraturas. O preso, segundo a polícia, alegou ter saltado por se sentir ameaçado pelos líderes da rebelião.

Um grupo de 60 presos foi o responsável pela rebelião e, segundo o diretor assistente do Departamento de Execuções Penais do Paraná (Depen-PR), André Luiz Ayres Kendrick, os reféns estão bem e foram encaminhados para cuidados médicos.

O foco da rebelião ocorreu na galeria A, do bloco 3, o mesmo onde estão os presos que lideraram um motim na semana passada.

Por causa das recentes rebeliões, o governo do Estado acionou o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) para investigar as causas das rebeliões e se há algum agente público envolvido nos motins.

Mais conteúdo sobre:
rebeliãoParanáPEP II

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.