Presos mais três policiais acusados de chacina em SP

Polícia procura armas e provas nas casas dos militares presos que possam ajudar na investigação

PAULO R. ZULINO, Agencia Estado

21 Fevereiro 2008 | 13h28

Três policiais militares acusados de participar de uma chacina, em fevereiro do ano passado, na zona norte de São Paulo, foram presos nesta quinta-feira, 21, pela Delegacia de Homicídios e pela Corregedoria da Polícia Militar. Os policiais são do 9º Batalhão da PM, que era comandando pelo coronel José Hermínio, assassinado em janeiro deste ano. A suspeita é que o coronel tenha sido morto por policiais que participam de grupos de extermínio na zona norte. O coronel havia denunciado e punido vários soldados.A polícia está procurando armas e provas nas casas dos militares presos que possam ajudar na investigação. A chacina ocorreu no dia 12 de fevereiro e nove pessoas foram baleadas. Duas delas morreram e sete ficaram feridas. Os policias foram ouvidos e devem ficar presos por pelo menos 30 dias. Já chega a 10 o número de PMS suspeitos de integrar grupos de extermínio.A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que ainda não tem nenhum detalhes sobre essas prisões. Já a Corregedoria da Polícia Militar disse que não fala sobe o assunto. A sala de imprensa do Copom - Centro de Operações da PM - também não tem informações sobre o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.