Presos quatro por fraudar habilitação em Itapevi-SP

Quatro pessoas foram presas e autuadas em flagrante hoje por falsidade ideológica e formação de quadrilha por envolvimento em um suposto esquema de venda de cédulas da Carteira Nacional de Habilitação (CNHs), que incluía facilitar a obtenção do documento para analfabetos e moradores de outros municípios sem que os candidatos fizessem aulas e exames teóricos e práticos.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

19 de novembro de 2010 | 16h00

Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo, foram presos dois sócios-proprietários de um Centro de Formação de Condutores (CFC) em Itapevi, na Grande São Paulo, e duas funcionárias administrativas. No local, os policiais encontraram 60 dedos de silicone, utilizados nas fraudes, guardados em embalagens plásticas, com as respectivas inscrições de número de CFC dos candidatos.

A Divisão de Crimes de Trânsito (DCT) fará o levantamento de CNHs emitidas pela Ciretran de Itapevi matriculadas no CFC e todas as que apresentarem irregularidades serão canceladas. Os candidatos que tinham dedo de silicone também serão intimados a prestar esclarecimentos e poderão, além de ter o processo cancelado, ser indiciados em inquérito policial.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a investigação começou ontem, quando um pedreiro, de 53 anos, tentou transferir sua CNH para São Paulo e obter a permissão definitiva para dirigir, emitida pela Ciretran de Itapevi, em 24 de julho de 2010. Foi constatado o baixo nível de instrução do condutor e verificado que ele seria analfabeto. O pedreiro foi encaminhado para a Divisão de Crimes de Trânsito, onde confessou ter comprado a CNH sem ter feito as aulas e os exames. Diante da confissão, os policiais foram até o CFC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.