PRF-BA negocia liberação de tráfego com caminhoneiros

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) na Bahia segue em negociação com os caminhoneiros para que liberem o tráfego na Rodovia BR-116. Nesta quinta-feira, os manifestantes, que bloqueiam a rodovia desde as 6 horas de segunda-feira, 1, abriram três trechos da estrada, dos quatro que ocupavam. Bloquearam, porém, outros dois, cerca de 150 quilômetros ao norte dos primeiros.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

04 de julho de 2013 | 17h21

De acordo com a PRF, o trânsito foi liberado nos quilômetros 910 e 900 (Cândido Sales) e no 835 (Vitória da Conquista). O 804, também em Vitória da Conquista, bloqueado nesta quarta-feira, 3, porém, continua paralisado e os caminhoneiros montaram novas barreiras nesta quinta-feira, em Planalto, nos km 778 e 759.

Nos km 910 e 900, os primeiros a serem bloqueados pelos caminhoneiros no Estado, a liberação começou a ocorrer depois do grave acidente entre uma van e uma carreta, que deixou quatro mortos e seis feridos, por volta das 5h30 desta quinta. Segundo a PRF, a van seguia com dez passageiros de Gavião, no centro-norte da Bahia, em direção a São Paulo.

Nas proximidades do bloqueio no km 900 da rodovia, o motorista teria tentado seguir pelo acostamento e não conseguiu frear antes da colisão com uma carreta que estava parada na fila. Conforme a polícia, houve neblina na região na manhã de quinta-feira. As vítimas morreram no local do acidente. Os feridos, dois deles em estado grave, foram levados para um hospital em Vitória da Conquista, maior cidade da região. O motorista da van, que sofreu ferimentos leves, e o da carreta, que não ficou ferido, foram encaminhados à Delegacia de Cândido Sales, para prestar esclarecimentos.

Mais conteúdo sobre:
ProtestoscaminhoneirosBAmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.