Primeira 2ª feira do ano é dia de divórcios na Inglaterra

Depois das festas, casais em crise costumam botar ponto-final na relação.

BBC Brasil, BBC

07 de janeiro de 2008 | 13h10

A primeira segunda-feira do ano promete ser um dia movimentado para advogados na Inglaterra, já que a data costuma ser o dia que registra o maior número de pedidos de divórcio.Segundo uma pesquisa do site InsideDivorce.com ("por dentro do divórcio".com, em tradução livre), 19% dos 2 mil casais entrevistados estavam pensando em se divorciar."O Natal é um pesadelo para qualquer um com um relacionamento equilibrado, mesmo que remotamente", disse Derek Bedlow, do InsideDivorce.com. "Há muitas oportunidades para as coisas darem errado."Segundo a pesquisa do site, 42% dos que pensam em se separar citam ter descoberto uma infidelidade do cônjuge durante o período de festas. Abuso físico ou psicológico vem em segundo lugar como motivo citado por 34% dos entrevistados, e 29% citam o tédio na relação.Convivência intensaO período de quase duas semanas de convivência intensa entre o casal, e com o resto da família, também é apontado como um dos fatores que pode levar ao ponto final do casamento."O Natal não é uma causa para o divórcio, mas é certamente um catalisador, e como resultado, janeiro é o período mais movimentado do ano", disse James Stewart, sócio do escritório Manches, o maior da Inglaterra em direito familiar, ao jornal The Times."As famílias que não passam muito tempo juntas normalmente são forçadas a conviver intensamente", acrescenta Stewart. "É uma época cara e as dificuldades financeiras podem exacerbar tensões já existentes.""Estamos esperando que este seja o dia mais movimentado do ano para a gente e, provavelmente, a semana mais movimentada", afirmou a advogada Suzanne Kingston, sócia do escritório Dawsons, em Londres. "Um natal estressante pode facilmente ser o último prego no caixão matrimonial."A Relate, uma organização de ajuda a casais em crise, afirmou que o número de chamadas para o grupo cresceu 50% durante o período.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.