Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Primeira conquista da carreira vira obsessão para o veterano Washington

Dos jogadores em atividade, Washington é o maior artilheiro do Brasileiro - já marcou 100 gols. O centroavante terminou a competição por dois anos como maior goleador do campeonato, em 2004 e 2008. Mas nunca foi campeão. Por isso, a taça é a sua maior obsessão da temporada. Trocaria todos os títulos individuais por este, se pudesse. Até mesmo porque, aos 34 anos, não sabe se terá outra oportunidade para conquistar o cobiçado troféu.

, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

"Passei muito perto em 2004 (o Atlético-PR perdeu para o Santos na penúltima rodada) e ficou uma lição muito dura. Até hoje, quando penso naquele ano, quase não durmo", conta o centroavante. "Foi um sofrimento muito grande. Não queria que se repetisse. Alguém pode ter tanta vontade quanto eu de levantar essa taça, mas mais vontade que eu, ninguém tem."

Washington ostenta também a marca de maior número de gols marcados em uma única edição do campeonato - anotou 34 em 2004. Nem precisou tanto em 2009 (21). Fez 12 gols até aqui em um campeonato que pode servir para fazer as pazes com o torcedor, que ainda não se acostumou completamente com o jogador e não cansa de criticá-lo depois da eliminação na Libertadores e no Paulista.

Agora, parte dos são-paulinos está mais calma. O atacante pôde perceber em um evento durante a semana que é querido por certa parcela do público. Mas ele que experimente errar um gol em momento decisivo e o time perder o troféu. "Todo mundo sabe como é a minha forma de jogar. Tive muitas dificuldades aqui", reconhece o atacante. "O título poderá ser minha redenção no clube. No próximo ano, o jogador não deve permanecer no São Paulo. Diz que não foi procurado pela diretoria. Nem aceitaria conversar agora. O título é mais importante. "Mesmo que o Barcelona viesse atrás de mim, não aceitaria negociar agora", exagera o camisa 9. "Já falei para o meu empresário: tratativas só depois do campeonato."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.