Primeira-ministra eleita da Dinamarca diz ter alcançado acordo

A primeira-ministra eleita da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, disse no domingo ter feito um acordo com aliados políticos para formar um governo de coalizão de três partidos, depois de vencer a eleição há duas semanas.

REUTERS

02 de outubro de 2011 | 11h39

Thorning-Schmidt, líder dos social-democratas, disse ter concluído seu programa de políticas e que iria informar a rainha Margrethe, no domingo, de que estava pronta para formar o governo.

"É um programa de governo muito bom que vai fazer a Dinamarca avançar", disse Thorning-Schmidt ao canal TV2 News ao chegar ao parlamento dinamarquês em Christiansborg Palace.

O governo de centro-esquerda será composto pelo partido de Thorning-Schmidt, o Partido Popular Socialista e os Liberais Sociais.

O "Bloco Vermelho" de Thorning-Schmidt, que tirou o primeiro-ministro liberal Lars Lokke Rasmussen do poder na votação do dia 15 de setembro, disse que iria anunciar o novo programa de governo e os novos ministros na segunda-feira.

O novo governo contará com o apoio parlamentar da extrema-esquerda Aliança Vermelho-Verde, que teve ganhos na eleição, mas não foi incluído nas negociações para formar o governo.

Com a Aliança Vermelho-Verde, o novo governo de coalizão terá uma maioria de 92 cadeiras no parlamento 179 assentos.

Thorning-Schmidt, que será a primeira mulher a ocupar o cargo na Dinamarca, defendeu em sua campanha um plano para alavancar o crescimento econômico com o aumento das despesas públicas, mas com o objetivo de equilibrar o orçamento até 2020.

(Reportagem de John Acher e Mette Fraende)

Mais conteúdo sobre:
DINAMARCAELEITA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.