Primeira-ministra tailandesa sobrevive a moção de desconfiança

A primeira-ministra tailandesa Yingluck Shinawatra, sobreviveu com facilidade na quinta-feira a uma moção de desconfiança, em meio às maiores manifestações antigoverno no país desde os violentos distúrbios políticos de três anos atrás.

Reuters

28 de novembro de 2013 | 09h24

Yingluck precisava do apoio de mais de metade dos 492 deputados. Conseguiu 297 votos, com 134 contrários.

Seu partido, o Puea Thai, e aliados têm 299 deputados, o que garantiu a sobrevivência política dela após três dias de um debate em que a oposição criticou a primeira-ministra por causa de um programa de gestão hídrica no valor de 3,5 bilhões de bahts (108 milhões de dólares) e um pacote de intervenção no mercado de arroz que, segundo adversários, continha problemas financeiros.

(Reportagem de Amy Sawitta Lefevre)

Tudo o que sabemos sobre:
TAILANDIAMINISTRAVENCEMOCAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.