Principal acionista da trading Dreyfus morre aos 63

Robert Louis-Dreyfus, principal acionista de uma das maiores empresas de trading de commodities e de um importante time de futebol francês, morreu aos 63 anos depois de uma longa batalha contra a leucemia.

JEAN-FRANCOIS ROSNOBLET, REUTERS

05 Julho 2009 | 13h10

Louis-Dreyfus, um cidadão suíço, faleceu neste sábado em um hospital em Zurich após anos de problemas de saúde, disseram fontes próximas ao clube Olympique Marseille.

O que isso irá implicar para a companhia privada, com sede em Paris, que pertence à família Louis-Dreyfus, ainda não está claro.

Robert Louis-Dreyfus entrou na empresa de maio de 2000, após trabalhar um tempo para a Neuf Telecom, o grupo alemão de produtos esportivos e para a agência de publicidade Saatchi & Saatchi, segundo uma biografia oficial.

No final de 2007, mantinha o cargo de presidente-executivo do grupo Louis-Dreyfus mas, no domingo, já não figurava mais como membro da cúpula da empresa em seu site oficial http://www.louisdreyfus.com.

Louis-Dreyfus, que deixa três filhos, de acordo com a mídia francesa, era conhecido por sua paixão pelos esportes e por ter investido mais de 200 milhões de euros (280,4 milhões de dólares) no Olympique Marseille.

(Reportagem de Jean-Francois Rosnoblet, Jean-Paul Couret e Tamora Vidaillet)

Mais conteúdo sobre:
GENTELOUISDREYFUSMORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.