Príncipe britânico Andrew critica Bush sobre Iraque

O príncipe britânico Andrew fez fortescríticas nesta terça-feira ao presidente George W. Bush por nãoter dado ouvidos à Grã-Bretanha durante o conflito no Iraque. Numa entrevista a um jornal antes da visita de 10 dias aosEstados Unidos para dar suporte aos negócios britânicos, opríncipe, quarto na linha de sucessão ao trono, afirmou que asconsequências da guerra no Iraque deixaram os britânicos"saudavelmente céticos" sobre o que foi dito em Washington. "Se você observar o colonialismo, se você observar asoperações em escala internacional, se você observar acompreensão da cultura do outro, entenderá como operar umacampanha militar insurgente -- estivemos em todas elas", disseAndrew. "Vencemos algumas, perdemos algumas, empatamos emoutras", afirmou ele ao International Herald Tribune. "O fato é que há muita experiência aqui que é digna de serouvida." O príncipe, que também possui o título de duque de York,afirmou que enquanto a Grã-Bretanha continuou como aliadanúmero um dos Estados Unidos, a situação do pós-guerra noIraque fez muitos se perguntarem "por que ninguém deu atençãoao que foi dito no conselho que demos". "Há ocasiões quando as pessoas no Reino Unido desejariamque aqueles em posições de responsabilidade nos Estados Unidosouvissem e aprendessem com nossas experiências", afirmou. Andrew acrescentou que, além de tudo, foram osnorte-americanos que pediram conselhos: "Não é como se nóstivéssemos forçados isso". Os comentários do príncipe foram vistos como uma quebra doprotocolo na Grã-Bretanha, onde a tradição normalmente proíbeos membros da família real em intervir na política. Em Washington, um porta-voz da Casa Branca preferiram nãocomentar as críticas.

KATE KELLAND, REUTERS

05 de fevereiro de 2008 | 13h38

Tudo o que sabemos sobre:
PRINCIPEBUSH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.