Príncipe Harry atua como soldado no Afeganistão

Ministério britânico confirma que membro da família real está no país há dois meses.

Da BBC Brasil, BBC

28 Fevereiro 2008 | 16h35

O príncipe Harry, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, está há mais de dois meses participando de combates no Afeganistão.A informação, que foi divulgada inicialmente por um site americano, foi confirmada nesta quinta-feira em uma mensagem divulgada pelo Ministério da Defesa britânico.Harry, de 23 anos, está há dez semanas servindo o Exército britânico na província de Helmand.A região é considerada um dos principais redutos do Talebã no Afeganistão e tem sido um dos principais palcos de combates entre forças da Otan e os insurgentes.Pessoa normalAo comentar à BBC sua experiência em combate no Afeganistão, Harry disse que "finalmente" está tendo a chance de "atuar como um soldado", algo que vinha ansiando fazer."É muito bom ser como uma pessoa normal pelo menos uma vez", disse. "Acho que é o mais normal que eu conseguirei ser."O príncipe reconheceu que pode representar um perigo aos colegas, já que é um alvo potencial de tentativas de seqüestro e ataques."No norte, quando vou para lá, se faço patrulhas entre os locais, ainda fico muito preocupado com o fato de que preciso manter meu rosto um pouco coberto por causa da possibilidade de ser reconhecido, o que pode colocar outros rapazes em perigo", afirmou.No ano passado, o Exército britânico chegou a anunciar que Harry seria enviado ao Iraque, mas depois a decisão foi cancelada devido aos riscos à segurança do príncipe. O envio do príncipe ao Afeganistão não vinha sendo noticiado pela imprensa da Grã-Bretanha devido a um acordo fechado com as autoridades do país."Estou muito decepcionado que sites estrangeiros decidiram divulgar a notícia sem nos consultar", disse o chefe do Estado Maior das Forças Armadas britânicas, Richard Dannatt, em mensagem divulgada nesta quinta-feira."(A postura) contrastou radicalmente com a conduta responsável adotada por toda a imprensa britânica, assim como alguns poucos veículos no exterior, que fecharam conosco um acordo sobre a cobertura do príncipe Harry em suas missões", acrescentou Dannatt.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.