Procuradoria do Equador também vai investigar Igreja Universal

Entidade é suspeita de lavagem de dinheiro no país; Edir Macedo e outros 9 integrantes foram denunciados

Efe,

18 Agosto 2009 | 21h49

A Procuradoria Geral do Equador anunciou nesta terça-feira, 18, que decidiu iniciar uma investigação preliminar sobre a Igreja Universal do Reino de Deus devido a uma suspeita de lavagem de dinheiro na qual a entidade estaria envolvida. A investigação foi motivada pelos atuais trabalhos de promotores do Ministério Público do Estado de São Paulo, que denunciam Edir Macedo, líder e fundador da Universal, e mais nove integrantes da igreja sob a acusação de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Em comunicado, a Procuradoria equatoriana explica que iniciou uma investigação após "as informações jornalísticas" sobre os trabalhos do Ministério Público paulista. No último dia 11, o juiz Glaucio Roberto Brittes, da 9ª Vara Criminal de São Paulo, acatou a denúncia contra Edir Macedo e os outros nove membros da Universal. A Procuradoria do Equador diz que "a Justiça brasileira suspeita que grande parte da fortuna de Macedo foi enviada em doações anuais, livres de impostos, a paraísos fiscais e devolvida ao Brasil por meio de duas companhias fictícias". Depois dessa informação, o Governo equatoriano considerou começar uma investigação, já que a Universalpossui 58 templos no país. Um deles, erguido em 2007 na cidade litorânea de Guayaquil, "custou US$ 10 milhões", explica o comunicado. A Universal tem cerca de 4.500 templos distribuídos no Brasil e no mundo, com presença em todos os continentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.