Produtor de soja vive momento favorável para venda, diz Céleres

Os produtores brasileiros que ainda têm estoques da colheita 2011/12 de soja vivem um momento favorável para comercializar o saldo de sua safra, pois os preços em Chicago estão em patamares historicamente elevados e o câmbio ajuda na formação de preços em real, avaliou nesta segunda-feira a consultoria Céleres.

REUTERS

21 Maio 2012 | 14h44

Até o final da semana passada, os agricultores tinham comercializado 84 por cento da safra 11/12, com as vendas adiantadas na comparação com a temporada anterior, quando nesta época produtores tinham vendido 65 por cento.

"Acredita-se que o melhor momento para a venda dos saldos da safra 2011/12 possa ter ocorrido em maio", disse a consultoria em relatório, acrescentando que ainda há possibilidade de os preços se manterem em patamares altos, até julho.

A soja está sendo cotada em um valor nominal recorde no Brasil, com a demanda internacional aquecida após uma forte quebra de safra por seca no Brasil.

A soja no porto de Paranaguá fechou a semana com o maior valor nominal de toda a série histórica analisada pelo indicador Cepea/Esalq, cotada a 65,11 reais por saca de 60 kg nesta sexta-feira.

Com o fortalecimento do dólar frente ao real, disse a Céleres, qualquer perda observada nos preços internacionais tem sido compensada sem maiores preocupações.

Mas, segundo a consultoria, há um limite para reter a produção com menor risco de eventual queda de preço. "Tal momento parece ser até o final de julho ou início de agosto, pois a partir daí acredita-se que haverá pressão negativa sobre os preços pelo provável ímpeto de aumento de área plantada com soja na América do Sul."

Pelo volume comercializado antecipadamente da nova safra, é possível que a área plantada crescerá na próxima no Brasil safra, o segundo produtor global.

De acordo com a Céleres, os produtores já comprometeram 26 por cento da safra 2012/13 - no mesmo período do ano passado, não havia registros de vendas antecipadas.

AUMENTO EM MATO GROSSO

Grande parte das vendas antecipadas é realizada pelos agricultores de Mato Grosso, o maior produtor de soja do Brasil.

Eles já comercializaram 45,2 por cento da safra que esperam colher na temporada 2012/13, um patamar recorde para esta época do ano, segundo informou na semana passada o Imea, o órgão de análises ligado à federação dos produtores.

Recorde também é a produção esperada para a safra cujo plantio se inicia em meados de setembro, com colheita somente no final de 2012 e início de 2013.

O Imea prevê uma colheita de 23 milhões de toneladas em Mato Grosso, ante 21,3 milhões de toneladas em 2011/12.

O instituto mato-grossense prevê um crescimento de cerca de 5 por cento na área plantada, para um recorde de 7,4 milhões de hectares.

(Por Roberto Samora)

Mais conteúdo sobre:
COMMODS SOJA CELERES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.